Ay, ay, ay, ay...

Ay, ay, ay, ay...

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Na companhia de um livro


Os livros são objectos aromáticos guardados nas estantes da memória, sementes de orvalho, estrelas onde assoma o infinito. Nos jardins de goma-arábica, com o céu nas margens, verde, cor de marfim é a sua volúpia acesa, a sua centelha branca, a sua seiva cor de sangue.

Luxurioso é seu corpo, o seu júbilo, a sua forma, o seu perfume, onde a sede e a veemência se prolongam. Na exactidão do seu lume, irradiam a luz, a cor, a sua chama sempre viva. Entre estrelas, dinamite, é lá que o coração dos seres respira e o silêncio pulsa, envolto na sedução da luz e dos oásis. Com lábios de areia e musgo, é lá que bebo o mar, a luz, a terra apodrecer o corpo flutuando entre estrelas madrepérola. É lá que afluem objectos preciosos, roseiras, grutas, pirilampos.

Nas suas árvores de raízes negras, irreais, assomam as fábulas, poemas, em taças volumosas, transparentes. Nas suas vogais, há cais secretos, nascentes ébrias, fósforo incandescente. Nelas se inscreve a língua arguta das pedras eloquentes. No seu mar de peixes exóticos, espalham-se, as lombadas da vida, as aguadas da morte.

E nada impede o coração, cotovia inadiada.

No seu murmúrio, derrama-se a vertigem em flor.
Maria Sameiro

1 comentários:

Fê-blue bird disse...

Que lindo texto escolheu para definir o valor de um livro e o prazer da leitura. Parabéns!
Um beijinho

Sobre a Emporium

Flores e Flowers

Ocorreu um erro neste dispositivo

Seguidores

  © Blogger Template by Emporium Digital 2008

Back to TOP